6.1.07

ATENÇÃO À BICA DO CHOUPAL !!!

Na leitura do Plano de Pormenor do Choupal, em discussão até final de Dezembro p.p., aapercebi-me de uma falha clamorosa: no Plano não se faz qualquer referência à "Bica do Choupal". No entanto trata-se de um chafariz antiquíssimo, medieval, que Madeira Torres refere claramente no seu "Descripção Histórica e Económica da Villa e Termo de Torres Vedras", pág. 73 da edição fac-simile da Misericórdia de Torres Vedras.

É uma falha grave, a denotar ignorância ou insensibilidade.

Há que ter isto em consideração. O que ali está é Património Histórico legítimo, memória de séculos. A sua não inclusão no Plano faz temer que, qualquer dia, quando se iniciarem as obras no Choupal, um qualquer maquinista de buldozer mete a máquina a direito, arrasa tudo e... o mal será irreparável. De nada valerão as desculpas posteriores, a fazerem lembrar o crime patrimonial que foi a destruição do Moinho do Gaio - nunca devidamente esclarecido, embora a opinião pública saiba bem quem foi o culpado e quem lhe deu cobertura...
Esta discussão do Plano do Choupal passou algo despercebida: é que a nossa Câmara Municipal entendeu que uma boa época para a fazer era, exactamente ... o Natal!
Há que estar atento. A Associação para a Defesa e Divulgação do Património Cultural de Torres Vedras já tomou posição e enviou o seu parecer. Muito crítico àcerca da questão da "Bica".
Mas também àcerca da projectada Biblioteca Municipal que ficará dentro do Choupal!
Ideia grandiosa, sim sehor! Mas alguém conhece estudos, inquéritos, estatísticas que mostrem que a actual Biblioteca - em serviço há apenas cerca de 12 anos! - está ultrapassada?
E alguém sabe os custos de um equipamento deste género, só para o ter aberto?
E mais não digo, por hoje...

3 comentários:

Anónimo disse...

Julgo que projectos anteriores propunham a passagem de uma estrada no local onde está essa fonte. Embora esses projectos não tenham ido avante concordo que é melhor os torrienses ficarem de olho, não vá desaparecer mais um pouco do seu património.
Quanto à questão da biblioteca, só me pergunto quantas pessoas se deslocarão ao Choupal para ir à biblioteca? Concordo que o jardim do Choupal tem que se tornar num lugar mais vivo e central, mas acho que isso não passa pela construção de uma biblioteca no local.

J. Moedas Duarte disse...

Vale a pena ver o projecto, julgo que continua consultável na Câmara. E tb no site da CMTV.
Há lá boas ideias, não contesto. Mas há outras...
Olhos neles!!
Obrigado pela participação.

Luís disse...

A questão da biblioteca será a mesma que pôs para outras infraestruturas. Na cidade impera a lógica do novo-riquismo. Parte-se para estruturas novas sem que das existentes se tenha tirado tudo o que delas se pode tirar.É por isso que na cidade se multiplicaram os auditórios e os edificios administrativos camarários, se fala em construir novos museus, novas bibliotecas, novas centrais rodoviárias, e se vai investindo em ringues de patinagem gelada, etc, etc, etc. Tudo se decide de forma leviana e com prioridades tiradas sabe-se lá de que planeta... E entretanto deixa-se apodrecer a zona histórica, deixa-se o Sizandro na lástima em que está, montam-se pré-fabricados para dar aulas ao básico...eu sei lá.
Circo, é de circo que o povo precisa. Dêem-lho!