29.5.07

Boa Vista - a Iha Fantástica

Dunas da ilha da Boa Vista / Cabo Verde: Morro de Areia. O deserto à beira-mar, num cenário de cortar a respiração, onde o epíteto de Ilha das Dunas ganha sentido. Do promontório avista-se um autêntico mar de areia, de vagas moldadas pelo vento, com o azul profundo
do Atlântico a acenar um convite difícil de resistir.




Praia de Chaves (Boa Vista, Cabo Verde)

A Ilha da Boa Vista

De Germano Almeida , escritor cabo-verdeano, é de ler: A Ilha Fantástica, retrato do lugar onde nasceu; Estórias contadas, compilação de crónicas escritas para O Público; e Viagem pela História das Ilhas, uma rota pelo arquipélago através daqueles que escreveram sobre ele. Todos editados pela Caminho.
(...)
De súbito, vem-me à memória uma cena do dia anterior. Uma jovem cabo-verdiana na praia, linda, de longos cabelos negros aos caracóis, a quem o namorado moldou uma cauda de sereia, numa cuidadosa escultura de areia. Quando cedi ao pedido para lhes tirar uma foto, vi que ela tinha tatuado todo o arquipélago na omoplata. A conversa posterior revelou que, tal como a maioria dos cabo-verdianos, também eles eram emigrantes. De que ela própria era a metáfora perfeita: dividida entre o conforto de uma vida melhor e o calor da terra natal, com o país gravado na pele. Ou no coração, tanto faz.

( Textos in : ROTAS & DESTINOS)

7 comentários:

JMD disse...

Post dedicado a uma AMIGA muito especial, a minha amiga das dunas...
Bj

avelaneiraflorida disse...

Decerto uma viagem muito linda!!!!

Sam Well disse...

Sim, Avelã. E gostava de a visitar contigo.

avelaneiraflorida disse...

Também gostaria...
Entretanto vou conhecendo Germano de Almeida...

Sam Well disse...

Germano de Almeida pode não ser um grande escritor, mas tem "verve", graça no contar, não é?
E dá para ver que aquele país é muito mais europeu do que pensávamos. A independência foi um equívoco, como se sabe agora e muitos cabo-verdeanos lamentam.

O problema é que haveria de lá aparecer um albertojoão qualquer, ainda pior do que o outro.
Gosto mais deles independentes mas solidários connosco, embora saibamos que o fazem por interesse, claro.

Ema Pires disse...

Bonita ilha, como todas as ilhas de Cabo Verde, terra do meu pai e dos meus antepassados, quase todos da Ilha do Fogo que é um lugar impressionante.
Continue a nos deleitar com as suas viagens.
Obrigada pela visita ao meu blog. Sempre será muito benvindo.

ERNESTINA disse...

Sou cabo-verdiana e vivo em Portugal há 41 anos, mas a minha terra natal tem o seu lugar especial no meu coração e na minha vida. A independência não foi um equívoco! Qualquer ser humano bem informado, que sabe o que significa viver considerado como um cidadão de segunda, com direitos inferiores aos de uma nação colonizadora, compreende o que é uma independência...
Bela foto!