6.5.07

Não posso calar










Não me tem apetecido fazer comentários políticos mas hoje não posso calar.
É confrangedora a forma como o PSD apoia o Sr. João Jardim. Personaliza a lei que alterou o escandaloso financiamento da Madeira, atribuindo-a ao Primeiro-Ministro José Sócrates, esquecendo que se trata de uma lei da República, aprovada no Parlamento.

Escamoteia a forma provocatória como o tal senhor trata os assuntos políticos e o modo persistente como insulta todos os portugueses que não moram na Madeira ou não pensam como ele.

O maior partido da oposição atasca-se na indignidade do modo de fazer política do sr. Jardim e isso é um péssimo serviço à democracia que todos prezamos.

Quanto ao argumento de que a vitória eleitoral legitima o tal senhor, estamos conversados. Este foi um belo exemplo de como a democracia não se esgota no acto de votar. Reduzi-la a isso é torná-la uma caricatura. Pilatos também fez uma consulta democrática mas, entre Cristo e Barrabás, a multidão manipulada e interesseira escolhe sempre Barrabás...

Parece que só o PSD não enxerga que a esmagadora maioria dos portugueses do Continente fica indignada com a forma como o sr. Jardim espatifa dinheiro. Ninguém contesta a validade de obras de infra-estruturas básicas, mas ninguém de bom senso aceita os gastos de promoção que esse senhor faz, seja nos jornais, seja no futebol, seja no fogo-de-artifício...




2 comentários:

maria do sul disse...

...'eu diria mm mais'! - como é k, em democracia, este Sr. ñ está preso!(como na banda desenhada...
mas ele sabe: qualquer boneco animado se levanta incólume após o suicídio) 'migos, viva a ficção! Olhem k deve restar pouco tempo para continuarmos a viver como em (como se chama?)pranchas(?) de contos da fadas/barbas ruivas/ogres à portuguesa... os franceses já vêm aí!!!

JMD disse...

Pois é, Maria do Sul. Mas deixemos o ogre espinotear. Tudo isto ( a demissão, as inaugurações, as eleições...)foi uma encenação grotesca, digna do soba madeirense, e que, no fundo, é a imagem da sua impotência política, ele que sabe que só tem tamanho na ilha onde tudo é pequeno e limitado.
Ja(va)rdim sabe que o tal Sr. Silva (com quem gozou em tempos) se tornou Presidente da República e que deve ter tanta consideração por ele como eu tenho por um cão morto que vi ontem à beira da estrada. Aldraberto João sabe que o Primeiro Ministro lhe liga tanto como a a Madona a mim. Por isso faz estas palhaçadas. Não fora o baixo grau a que ele leva a natureza humana e eu até lhe acharia alguma graça. Já vi palhaços mais tristes no circo...